18 de fevereiro de 2013

Vida, se me estás a ouvir, regista isto. Porque não quero ter que repetir.


Quero mais tempo de vida. A média que me dás não me chega para fazer tudo o que quero.

Quero mais dias felizes. Aliás, é mais simples que isso: não quero dias infelizes.

Quero mais sorrisos. Melhor, quero gargalhadas.

Quero mais gente preocupada com a própria vida, do que com a vida dos outros.

Quero a vida profissional vs pessoal mais equilibrada.

Quero que me rodeies de gente verdadeira. Já não se aguenta malta invejosa.

Quero gente optimista e que não desiste, apesar da caca de momento que estamos a passar.
Quero mais equilíbrio social. Porque a balança anda baralhada e precisa de arranjo.
Quero estações do ano definidas. As de hoje roubam os dias umas às outras, e assim nunca sabemos com que contar. E isso irrita-me.



Quero menos carros. Mas transportes públicos que sejam alternativas viáveis.
Quero mais bicicletas, mas também ruas com mais condições para as receber.
Quero mais acessos para as pessoas com mobilidade reduzida. Os que existem são inúteis, para não dizer ridículos.
Quero um Governo sério, que lute pelo meu país. O que lá está, só sabe lutar por ele próprio.

Quero uma igreja credível, que nos ajude a ultrapassar os males da alma. Não quero Papas com sapatos Prada e ouro por todo o lado.
Quero um país onde os jornais em papel não tenham um fim. Porque o cheiro das folhas e o ritual das folhear não se pode perder.

Quero um país onde os jovens consigam acabar os seus cursos e encontrar o emprego dos seus sonhos.
Quero um país que explique as vantagens de emigrar. E que não nos obrigue simplesmente a fazê-lo.

Quero um país que trate bem as crianças. E que não as deixe sentir na pele os erros dos adultos.
Quero um país que trate bem os velhotes. E que não os abandone em casa, onde um dia são encontrados mortos, ou os deposite num lar.


E, aproveitando que falo dos velhotes, quero um país que os recompense financeiramente de anos de trabalho e não lhes passe uma rasteira quando já poucos anos lhes restam.

Quero um país que permita a um doente terminal morrer com dignidade. Hoje, para o fazer, ou contamos connosco, ou quem nos ajuda é preso.

Quero um país que permita que dois homens ou duas mulheres que se amam, possam transmitir esse amor a um filho. Ao seu filho.

Quero um país que feche na cela quem mata e burla, mas que esse “quem” seja rico ou pobre. Hoje a justiça não é igual para todos.
Quero um país que não enfie alguém numa prisão três anos por roubar comida num supermercado e os mesmos três anos a quem abusa de uma criança.
Quero um país dê direitos aos animais. E que puna quem os maltrata. E puna a sério. E isto também implica acabar com touradas.
 
Quero um país que se una para passar para fora o que de melhor se faz cá dentro. Porque o que é nacional é mesmo bom.

Quero um país que não seja apenas conhecido pelo fado, futebol e saudade. Gosto dos três, mas quero mais.

Quero um país atraente para jovens empreendedores estrangeiros montarem empresas inovadoras.

Quero um país que aposte fortemente no ensino do Inglês, do Português, Educação Física e Cívica e Artes Visuais. Só assim teremos adultos preparados para enfrentar o mundo, que sabem escrever e falar correctamente a sua língua e outras, saudáveis, criativos e civilizados.
Quero um país que lute e que nunca desista. E que se una a sério quando é preciso falar mais alto para se fazer ouvir.

Enfim, quero isto e muito mais. Porque sou uma jovem que, apesar de tudo, se orgulha do seu país e que ainda acredita que Portugal vale a pena. Por isso quero o melhor.



E pronto Vida, assim de repente é disto que me lembro.
Sei que são ideias soltas e sem grande sequência lógica, mas podes organizá-las como quiseres. Desde que te mexas. Porque alguma coisa tem que acontecer. Parada é que não pode ser.
 

7 comentários:

  1. Quero... felicitar-te mais uma vez!
    Quero... que SEJAS MTO FELIZ!
    Bj

    ResponderEliminar
  2. Passei p/ aki p/ causa da Byzz no FB... E gostei do k vi e li... imenso... Gosto de pessoas assim.... alegres, felizes, optimistas k olham p/ o Mundo e p/ a vida em tons coloridos, contrariando a tríade do preto/branco/cinzento generalizado cá pelo burgo... Vou-te perseguir... Uma Fantástica semana !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Vanda! Nem podemos olhar para o mundo de outra forma!

      Obrigada por gostares d blog e fico feliz de te ter por aqui!

      bj,
      marta

      Eliminar