11 de março de 2014

A voar desde 1991

Para tudo, que hoje celebro a vida!                     

A família. Os amigos. O trabalho. Os inimigos. Porque, há 23 anos, a coisa foi tão complicada que, hoje, até os inimigos faço questão de celebrar.

1991. Foi o ponto de viragem. Não o mais doloroso mas, seguramente, o mais importante.

1991 foi a primeira grande prova. A que confirmou que, quando não chegou a nossa hora, simplesmente…não chegou a nossa hora.

Na vida, tudo aquilo pelo qual passamos muda-nos. Molda-nos. "Faz-nos”.

Tornei-me numa pessoa boa. A sério que, modéstia à parte, acho que me tornei numa pessoa boa. Acima de tudo, sou hoje alguém que todos os dias se esforça por ser melhor.

Quando olho para trás, para os momentos que se seguiram ao acidente que me deixou paraplégica, sinto um orgulho grande em mim. Mas uma gratidão ainda maior por todos os que me ajudaram a fazer aquele caminho.

Quando olho para trás, apesar da vida ter dado uma cambalhota com 3 mortais à frente (e encarpados, só para tornar a coisa mais animada!) não me lembro de estar triste. Não me lembro de chorar com pena de não andar. De não voltar a andar. E, apesar de saber que todos à minha volta choraram, foi importante terem-no feito sem eu perceber. Porque tornou o processo mais suportável. Ajudou-me a tornar-me forte o suficiente para poderem encontrar também em mim um pilar.

Há dias em que tento adivinhar o que teria sido da minha vida se aquele 11 de março de 1991 tivesse sido um dia normal. Um dia de acordar, tomar duche e sair para a escola com a Cláudia. Parar no café para fumar um cigarro às escondidas. Encontrar-me com o Brasas, o meu namorado. Voltar para casa ao fim da tarde, passear o Pantufa e o Coca, estar com os meus pais e irmã, dormir e pronto. Mas nunca saberei.

O universo surpreendeu-nos a todos e reservou-me outras cartas para jogar.

A verdade é que fui a jogo. Com algum medo, porque não conhecia as regras, mas fui. Resultado, venci. Goleei o adversário. Eliminei-o do campeonato.

Gosto de pensar que ganhei uma vida nova. Que ganhei o direito de começar de novo. Que ganhei resistência. Coragem. E, ainda, o tempo necessário para parar e perceber que todos os dias podemos melhorar um bocadinho e tentar fazer a diferença na vida de alguém.

Há 23 anos que não ando. Mas há 23 anos que voo. Alto.

É por isto que hoje para t-u-d-o, se faz favor. Afinal, celebro a vida. E vou viver o melhor que conseguir.

Um desejo? Que venham de lá, para início de conversa, os próximos 23!

22 comentários:

  1. E voas bem alto sim, Marta!

    Parabéns por todos os dias, e obrigado pela tua partilha.

    Abraço,
    Bruno

    ResponderEliminar
  2. Olá Marta! És mesmo uma inspiração... irias voar sempre (se pudesse prever o futuro)... quanto a isso não tenho muitas dúvidas. Continua :) beijinho grande

    ResponderEliminar
  3. Marta Parabens ! Obrigado pela tua narrativa. Ela está muito presente, em mim ! Tu dás-me força ! Quando olho para a tua antiga janela, vejo-te sempre e não quem lá mora.! Mais uma vez obrigada pela força que me transnites e só te posso desejar que essa força de voar nunca esmoreça. Beijo

    ResponderEliminar
  4. Inspirador até para uma pessoa bem mais velha, como eu. Força para continuar, felicidades e já agora parabéns por estes 23 anos!

    ResponderEliminar
  5. <3 Muitos Parabéns pela pessoa que me parece ser. E muito mais gira do que em 1991! :) Muitas felicidades.

    ResponderEliminar
  6. és um exemplo para todos Marta, muitos beijinhos e que se lixem todas as dores de unhas, cotovelos e até enxaquecas. Não consigo deixar de pensar na tua força sempre que penso em queixar-me ou ouço alguém a fazê-lo :D . Foi excelente para mim conhecer-te e um prazer.

    ResponderEliminar
  7. Marta és uma menina especial, acompanhei de perto a mudança da tua vida e admiro a tua força. Ès o melhor exemplo de vida que eu conheço.Felicidades beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Anónimo! Sejas tu quem fores! :)

      Eliminar
    2. Sou a Ana Maria moro no r´c esq.no prédio onde moras-te em campo grande, vi o teu blog através da São, fiquei emocionada e feliz por saber que continuas uma menina corajosa, forte, uma inspiração para todos nós. beijinhos

      Eliminar
  8. Parabéns, Marta, pelos 23 anos de voo! E obrigada por, com ele, nos levares a erguer os olhos, a ganhar forças, a sorrir e a avançar. Conheço apenas uma ínfima parte da tua história, através do blog, mas a tua determinação e o teu sorriso são verdadeiramente inspiradores!
    Um grande beijnho.
    Carla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carla, obrigada eu por te manteres por perto! É um prazer enorme ler as tuas palavras!
      Um beijinho!

      Eliminar
  9. Marta,
    Sigo o seu blog e não posso deixar de lhe dar os parabéns sobre a forma e sincera e sentida como escreve.
    A sua Vida é um exemplo! Obrigada por A partilhar!
    beijinhos,
    Mariana Sampaio de Freitas
    p.s. - acho que somos da mesma idade (1976), não?

    ResponderEliminar
  10. Obrigada Mariana! Sim, somo praticamente da mesma idade. Eu sou de 75:)
    Obrigada pelas suas palavras. É muito bom sentir que chegamos desta forma às pessoas e que podemos fazer a diferença.
    Mantenha-se por cá por muitos e bons anos!
    Bjinho!
    marta

    ResponderEliminar
  11. Cheguei ao teu blog por acaso, numa pesquisa de imagens deparei com uma que tinha o antes e o depois, 1991 e 2014, cliquei porque me fez lembrar as minhas roupas nos anos 90, mas depois fiquei curiosa ao ler o texto e emocionei-me com a tua história. Espero que voes ainda mais alto do que tens voado, és linda e o mundo precisa de pessoas como tú! Beijinhos!
    p.s.sou também de 75!

    ResponderEliminar